Header Ads

Filomena Cautela confirma 2ª temporada de "Programa Cautelar"

https://pbs.twimg.com/media/E5ZyYwwXMAYEVJ3.jpg
Foto: Direitos Reservados

Depois da despedida da 1ª temporada de Programa Cautelar, no passado dia 10 de julho, a apresentadora confirmou agora a 2ª série do formato. A primeira leva de programas contou com seis emissões e a segunda vai acontecer em breve, revelou Filomena Cautela no seu Instagram.

Ainda sem data de estreia revelada, está assim confirmada uma nova temporada do Programa Cautelar, um formato que, segundo a RTP, se assumiu como "uma combinação entre humor e análise, que tenta explicar a realidade de forma simples, divertida e factual", abordando, todas as semanas, "um tema de fundo, mais ou menos fraturante, dissecado de fio a pavio -da origem, lá atrás (às vezes, mesmo muito atrás), até aos efeitos que tem hoje na vida de todos".

Desinformação, Guerra das Audiências, Racismo, Emproderamento Feminino, Alterações Climáticas e Cultura em Portugal foram as temáticas abordadas ao longo dos primeiros seis episódios. O formato despediu-se dos portugueses com um dos assuntos que mais deram que falaram nos últimos meses, o estado da Cultura no nosso país, especialmente num ano em que a mesma parou durante um longo período, devido à pandemia.

Em entrevista ao podcast Teatra, em janeiro deste ano, Filomena Cautela já havia revelado alguns pormenores sobre o programa que considera ser "pertinente e transformador". Apesar de considerar que nunca teve "um fascínio particular pela televisão" e que o teatro foi, desde cedo, uma das suas maiores ambições, Filomena revela que era o lado mais insólito do pequeno ecrã que a fascinava, sobretudo depois do aparecimento das televisões privadas em Portugal. "O que achava, sim, era que a televisão era insólita e fascinante, por ser tão louca", explica. 

Sobre esta diferença entre teatro e televisão, Filomena Cautela esclarece ainda que acha que os dois espaços têm propósitos completamente diferentes. “Eu só me acho digna de me pôr num palco, em teatro, se tiver um texto muito bom, algo muito pertinente e transformador para dizer. Já a televisão não é sempre pertinente. O meu novo programa vai ser. Mas o que fiz antigamente nem sempre foi. E nem pode ser. A televisão não pode ser sempre pertinente", considera.

“Eu demorei muito tempo até que me deixassem fazer o que eu quisesse em televisão. Demorei muito tempo porque sou mulher, porque era miúda, porque me expresso de uma forma histriónica. Demorei muito tempo a ganhar o respeito para que me dessem tempo e dinheiro, porque em televisão o tempo é dinheiro, para que eu pudesse pensar televisão com profundidade. E é isso que estou a fazer agora. Se vai resultar ou não? Vou tentar", revelou a apresentadora ao podcast do Teatro Nacional D. Maria II.