Header Ads

RTP arranca gravações de “A Rainha e a Bastarda”


Arrancaram no último sábado, dia 8 de maio, as gravações de A Rainha e a Bastarda, que faz regressar a ficção histórica à RTP, num argumento criado a partir do próximo livro de Patrícia Müller com o mesmo título, com a realização de Sérgio Graciano.
 
A nova obra de ficção promete levar-nos ao passado, durante o reinado de D. Dinis, num enredo que coloca Portugal na iminência de Guerra Civil enquanto assistimos a alguns conflitos no badalado matrimónio do monarca com a Rainha Santa Isabel. Com a chancela de produção da Fado Filmes, a série deverá chegar à antena da estação pública em 2022.

Através do texto desta nova aposta da estação pública, os espectadores serão transportados para o ano de 1319, quando Portugal ainda é um país recente no mapa mundial. Estamos em pleno reinado de D. Dinis, o quarto Rei da Primeira Dinastia, com uma Guerra Civil a assombrar os destinos da população. 
 
É no meio de um conflito político que D. Dinis vê a sua filha bastarda, Maria Afonso falecer no convento de Odivelas, desgostoso com a morte da sua filha favorita, o regente pede ao Conde Lopo Aires Teles para conduzir uma investigação e encontrar o nome do culpado pela morte da primogénita. O castigo será severo, mas a obsessão do Rei pelo caso promete espoletar problemas graves no matrimónio com a Rainha Santa Isabel. 

A ficção histórica não é uma novidade para a autora Patrícia Müller, que assume os comandos do projeto depois do sucesso de Madre Paula, e que conta com um elenco de nomes bem conhecidos para dar corpo aos seus personagens. Diogo Martins vai manter-se nas produções da RTP, depois de ter dado corpo a Marco em Até Que a Vida Nos Separe e a Joaquim em Vento Norte, sendo um dos primeiros nomes confirmados no projeto.
 
Do elenco fazem ainda parte nomes como Mariana do Ó, Sérgio Praia, Bárbara Branco, Rúben Gomes, e Anabela Moreira, que volta a colaborar numa produção com a realização de Sérgio Graciano e assinatura de Patrícia Müller, depois do sucesso de A Generala, da OPTO SIC. A direção de atores está ao encargo de Marco Medeiros.