Header Ads

Conhece a equipa de guionistas responsável por “Glória” da Netflix

Glória, a primeira série portuguesa original da Netflix, leva-nos numa viagem histórica até aos anos sessenta, com o nosso país a servir de cenário improvável à Guerra Fria. A produção tem Pedro Lopes como criador do projeto, ao qual se juntam nomes com trabalhos reconhecidos no meio televisivo nacional. 

Com a produção da SPi, a aposta que abre portas à ficção nacional na gigante do mercado do streaming está em fase de pós-produção. Autor de sucessos como Laços de Sangue ou Sol de Inverno, Pedro Lopes é o criador da narrativa de Glória, num regresso ao passado que não é estranho ao argumentista, que assinou a adaptação de Conta-me Como Foi à realidade portuguesa. 

Pedro Lopes que é também Diretor de Conteúdos do grupo SP Televisão, é responsável pela produção de Glória e soma várias séries no currículo. Além da já citada adaptação da série história de sucesso da RTP, são da responsabilidade do autor as tramas de Liberdade 21, Pai à Força, A Família Mata ou Maternidade, além de ter sido um dos mentores da primeira temporada de Auga Seca.

Nesta primeira aventura entre Portugal e a Netflix, Pedro Lopes juntou-se a alguns nomes firmados na escrita para o audiovisual, que trazem para o argumento de Glória algumas das ferramentas utilizadas nas produções da SP Televisão. 

Inês Gomes, que conta com um currículo recheado de destaques nas telenovelas da SIC, onde se inclui Mar Salgado, Terra Brava, ou o recente sucesso, A Serra, é um dos nomes envolvidos no projeto, num parceria que não é inédita e que remonta ao tempo de projetos como Velhos Amigos, Lua Vermelha e Maternidade.

O autor e realizador Miguel Simal, responsável pelo telefilme Miss Beijo, também integra a equipa responsável pelos guiões da série, cruzando novamente caminho com Pedro Lopes, depois de em 2016 terem colaborado juntos na intriga de Coração D’Ouro, um dos destaques da ficção da estação de Paço de Arcos.

Aos três nomes, soma-se Filipa Poppe, que este ano vai estrear no grande ecrã a película O Som Que Desce Na Terra e a co-produção Chegar a Casa, ambas realizadas por Sérgio Graciano. A solo na ficção da SIC, a escritora lançou Paixão, em parceria com Joana Andrade. 

Também da equipa de Paixão, Rita Roberto é outro dos elementos que assumem o peso dos guiões de Glória, com André Tenente, que esteve envolvido nas últimas temporadas da sequência de Conta-me Como Foi, a fechar o leque de autores.

Glória acompanha a história de João Vidal, um jovem engenheiro que tem no seu passado ligações ao regime fascista do Estado Novo, é recrutado pela KGB, a principal organização dos Serviços Secretos da União Soviética nos anos sessenta, para executar missões de alto risco que podem colocar Portugal numa posição delicada e, até, ter consequências à escala mundial. 

Tiago Guedes é o realizador responsável pelo projeto que é fruto de uma co-produção com a RTP e conta com a vila de Glória do Ribatejo como pano de fundo. 

Miguel Nunes, Afonso Pimentel, Maria João Pinho e Carolina Amaral assumem algumas das personagens principais da história que conta com um vasto elenco composto por cerca de 80 atores.