Header Ads

Filipa Nascimento: “Uma das metas que sempre terei será interpretar personagens complexas e desafiantes”

Para Filipa Nascimento a representação é “paixão, é amor, é desejo e loucura”, e é com a vontade de mostrar isso ao público que surge de segunda a sexta-feira no horário nobre da SIC. Na pele de Mel em Amor Amor, a atriz vive a sua primeira protagonista em televisão, com a dupla responsabilidade de ter em mãos uma cantora em ascenção. Ao nosso site, a interprete confessa que interpretar esta jovem não a podia deixar mais feliz e adianta que um dos objetivos para o futuro da sua carreira será sempre “interpretar personagens complexas e desafiantes”

Em Amor Amor, Mel é uma rapariga cheia de sonhos que tenta vingar na indústria da música mas que acaba por esbarrar num mistério mal resolvido do passado que coloca o seu futuro em jogo. Apesar de estar no núcleo que defende a verdade por detrás da história central da novela SIC, Mel não é linear e também tem momentos na trama em que toma decisões erradas. Todos nós temos um lado bom e um menos bom. E se essa dualidade se conseguir mostrar numa personagem, só a torna mais real. No nosso quotidiano não existem pessoas que só praticam boas ações”, refere Filipa Nascimento ao Fantastic, adiantando que é essa veracidade de carácter um dos pontos que mais a motiva na sua personagem. 

A dar vida à primeira protagonista do seu currículo, a atriz não nega o peso da responsabilidade, mas garante que não é a incidência de Mel na novela de Ana Casaca mas sim da sua vontade de aperfeiçoar a personalidade de Mel e de fazer chegar a quem está em casa uma personagem credível. Apesar da Mel ser uma das figuras centrais da telenovela ‘Amor Amor’, o que me deixa mais feliz é mesmo a complexidade e as camadas que esta personagem tem e que me desafia a novas descobertas e novos caminhos enquanto atriz”, avança Filipa Nascimento referindo-nos que o lema para construir as suas personagens não se molda ao número de cenas mas sim à capacidade de superar as suas expectativas e provar a si própria que é capaz de ir mais longe.

Apelidada de novela leve Amor Amor junta ao drama que guia a a narrativa, maiores doses de comédia e música. O objetivo é apostar num outro modelo, e trazer uma maiores frescura ao formato novela, mas quais são as principais diferenças entre Amor Amor e outras tramas? É uma novela muito original, com um universo muito característico e totalmente distinto de todas as outras tramas. Estamos a representar o universo da música popular portuguesa que é algo que nunca foi muito explorado em ficção e penso que o público está a gostar por todas estas razões. Pela leveza, pelo ritmo, pela música... por tudo!”, revela a atriz, que nesta nova aventura da sua carreira apresenta outro dos seus talentos, a música.

Para quem segue as redes sociais de Filipa Nascimento não foi um surpresa total quando a ouvimos cantar pela primeira vez na trama da SIC, depois de várias partilhas com os fãs, chega agora o momento em que as duas paixões da artista se juntam no pequeno ecrã. É provável que algumas pessoas que me acompanham já soubessem do meu gosto pela música porque durante o primeiro confinamento eu partilhei nas minhas redes sociais alguns vídeos onde cantava. Não sei se ter revelado esta minha paixão terá ajudado ao convite para interpretar a Mel, mas posso dizer que estou muito grata pela confiança depositada em mim até porque esta é a personagem que mais estou a gostar de fazer”, garante ao Fantastic a jovem que esta semana tem a responsabilidade de assumir a canção de genérico de Amor Amor, sucedendo a Ricardo Pereira.

Guitarra Mágica ou Do Lado do Amor são apenas dois exemplos de canções a que Filipa Nascimento emprestou voz neste enredo. Numa novela repleta de talentos musicais, a atriz confessa que o Diretor Musical da novela, Toy, deixa que todos criem os seus próprios tons em cada canção. Ele orienta-me, mas não me corta as asas, e como em todos os trabalhos acabamos por deixar o nosso toque pessoal. Por exemplo, a música ‘Do Lado do Amor’ já foi interpretada por vários actores e não há nenhuma versão exactamente igual”.

Depois de Vidas Opostas e Terra Brava, que ainda está em exibição na estação de Paço de Arcos, este o terceiro projeto da intérprete em televisão. Apesar dos três papéis terem surgido de forma quase consecutiva, Filipa Nascimento sente que as diferenças que distinguem Íris, Catarina e Mel foram um fator essencial para o processo de construção e para o público. Eu tive imensa sorte em ter tido três personagens tão distintas umas das outras e tão distintas de mim mesma. Posso dizer que isso foi um desafio enorme em cada um dos projectos. Acho que o facto destas personagens apresentarem mais diferenças do que semelhanças em relação a mim, foi e é o traço característico que consigo identificar nos três desafios”, ainda a gravar os capítulos de Amor Amor, a artista confessa-nos qual é o personagem que gostaria de assumir depois de Mel: Adorava interpretar uma psicopata, mas qualquer personagem diferente das que já fiz será bem-vinda”.