Header Ads

"Dream People" lançam novo álbum em 2021

Foto: Miguel Dias


Francisco, Nuno, Bernardo, João e Diogo
conheceram-se no Facebook e pouco tempo depois formaram os Dream People, uma banda cuja música pode ser descrita como uma mistura de dream pop, post rock e indie rock, reunindo influência de bandas como Radiohead, Cigarettes After Sex e Jeff Buckley. Em 2019 lançaram "Soft Violence", o seu disco de estreia, e em 2021 preparam-se para lançar o seu segundo EP.

Foi com "Soft Violence" que os cinco jovens subiram pela primeira a palcos emblemáticos como os do Festival Vodafone Paredes de Coura ou do Super Bock em Stock, entrando em playlists nacionais e valendo-lhe menções em rádios além-fronteiras.

"Almost Young" é o nome do segundo trabalho, que tem lançamento previsto para o janeiro do próximo ano e, segundo os mesmos, será  o mais pessoal até à data. "É um disco maduro, que mostra os Dream People a encontrar o seu próprio caminho. As cinco músicas, que somam 32 minutos falam-nos do que é ser um jovem adulto em 2020. Cantam a inquietação que é crescer e assumir uma aparência de maturidade, mas também murmuram um certo desejo de libertação", explica-nos a banda.

Recentemente, a banda viu-se envolvida numa situação menos positiva, uma vez que todas as suas contas digitais foram hackeadas. "Entraram nas nossas contas e apagaram o nosso Instagram, Google Drive, Youtube e Distrokid. Perdemos cerca de 900 seguidores no Instagram, todos os videos do nosso Youtube, que contavam mais de 35 mil visualizações e todas as músicas que estavam no Spotify, onde tínhamos perto de 70 mil audições" revelou a banda nas suas redes sociais.

"Somos uma banda pequena, mas estávamos a começar a crescer. Lentamente. À custa de muito esforço, muita organização, imenso sacrifício, trabalho em equipa, horas, dias, meses e meses de trabalho. Trabalhámos muito para chegar aqui e ver tudo esfumar-se assim é… horrível. Ainda não conseguimos bem processar o que se passou", contaram ainda os Dream People.

O sucedido não lhes tirou o entusiasmo e os Dream People assumem que não aceitam esta ação como uma derrota "Somos feitos do mesmo material de todos os músicos portugueses: resiliência e uma boa dose de casmurrice. Temos um disco do qual muito nos orgulhamos a chegar, e se isto aconteceu, daqui só podemos extrapolar lições e criar uma plataforma para novo início", garantem. Até agora, o número inicial foi ultrapassado, depois de uma onda de apoio que se gerou na internet, contando já com cerca de 2000 seguidores.

O novo trabalho foi gravado, misturado e masterizado por Vitor Gomes Teixeira, com a ajuda de António Miguel Santos, no Poison Apple Studios (Lisboa). As primeiras apresentações públicas deste disco acontecem entre fevereiro e março de 2021, em datas a confirmar.

Podes seguir a banda nas redes sociais em facebook.com/dreampeopleband e no Instagram em @dreampeople.official