Header Ads

COMING UP | Game of Thrones - Episódio II


“Não é uma questão de lealdade, é uma questão de sobrevivência”. Esta é a frase que pode descrever parte da ação do segundo episódio de Game of Thrones. Em tempos de batalha, é difícil depositar confiança, mas chegou a hora de todos se reunirem para uma guerra comum.

Jamie é um dos protagonistas do episódio que deixa Cersei apenas em citações. O regicida prova a sua evolução como pessoa trazendo um twist interessante no final desta história. Longe da sua irmã e amada, ele procura um lugar em Winterfell, sem se desculpar sobre o passado, mas jurando pela sua honra que vai fazer o correto. A sobrevivência da humanidade recai sobre todos e a astucia do cavaleiro não permite que baixe a sua espada. Mesmo que os seus rivais sejam os “líderes” em combate.

O cerco está a apertar, com os White Walkers cada vez mais perto da família Stark. Pela primeira vez Lannister, Targaryen, Stark e até os Greyjoy dividem a mesma trincheira. Todo o tom do segundo episódio se baseia na atmosfera de que o final está prestes a ser uma verdade. A esperança invade Winterfell, mesmo que todos pareçam aceitar a realidade de uma morte certa.


Depois de ser uma das ausentes no primeiro episódio da oitava temporada, Brienne of Tarth toma parte ativa na narrativa para se tornar num dos destaques. Logo nos primeiros minutos, a mulher enfrenta os governantes do Norte, usando a sua palavra para garantir que Jamie consegue juntar-se à batalha que se aproxima. No mesmo espaço em que Tyrion é relegado para segundo plano por Daenerys.

Com tanto tempo a governar sozinha, a mãe dos Dragões parece ter alguma dificuldade em entender o que significa a confiança em alguém. Sansa volta a apresentar uma opinião contrária à sua rainha, depois de aceitar Jamie Lannister como seu aliado, apenas pela lealdade que tem com Brienne. No entanto, quando achamos que a jovem Targaryen é uma causa perdida no que diz respeito a estas questões, Jorah aparece para lhe lembrar que ela ainda tem um verdadeiro amigo ao seu lado.


Começam a delinear-se estratégias, planos contra o desconhecido, tudo como um prologo do próximo episódio que se prevê épico e ao mesmo tempo servindo de justificação para acelerar alguns acontecimentos. “É provavelmente a minha última noite e não vou passá-la com dois velhos”, Arya é uma das personagens que perante aquilo que parece ser o fim decide correr em direção ao seu destino, procurando um momento a sós com Gendry. Voltando a provar que a menina dos Stark já não é mesmo uma criança e sim uma mulher.

Noutro local, Tyrion, Jamie, Ser Davos, Tormund, Brienne, Podrick entre outros juntam-se para beberem na iminência da batalha. Partilham história e trocam até alguns complementos, numa cena pouco espectável em temporadas anteriores. Mas é no meio de toda a conversa inusitada que surge um dos momentos altos do segundo episódio: Jamie consagra Brienne of Tarth como Cavaleira dos Sete Reinos, perante o aplauso de todos os presentes.


Toda a construção do plot desta semana foi feito com marketing embutido. Passamos os sessenta minutos a aguardar o momento em que Winterfall seja atacada. Contudo, Game of Thrones volta a educar os fãs mais ansiosos com um episódio que serve como justificação para o que vamos ver a seguir, e ainda dando ênfase a personagens que têm estado em segundo plano. É um episódio em que muita coisa acontece, em que temos a revelação de Jon sobre a sua verdadeira identidade a Daenerys e cujas consequências só vamos ver se assistirmos o próximo capítulo. E é, também, um dos momentos-chave para percebermos quão importante será Bran daqui para a frente. É a HBO a saber promover-se, e a brincar com o facto de que nenhum fã consegue aguentar a curiosidade por muito tempo.

Sem comentários