Header Ads

RTP Lab produz quatro novas séries digitais portuguesas


O RTP Lab é o novo "laboratório criativo e experimental" da RTP, que terá como objetivo chegar a novas formas de produção de conteúdos em português, numa lógica multiplataforma. Depois da estreia de Amnésia, em outubro, o projeto irá estrear mais três novas séries dentro deste formato. 

"Foram selecionados projetos que integrem interação com o conteúdo na forma como a história é contada ou distribuída, e que sejam totalmente desenvolvidos num ambiente digital", explicou João Pedro Galveias. Amnésia é a primeira produçãoo a chegar às várias plataformas digitais da RTP - RTP Play, Youtube e redes sociais.

Amnésia é um thriller policial vertiginoso que estreou a 30 de outubro na RTP Play, Youtube e Instagram. Conta a história de Joana Almeida (Ana Vilela da Costa), uma jovem blogger de sucesso que na manhã da publicação do seu primeiro romance enquanto autora, acorda com o seu namorado, Carlos (Nuno Janeiro), morto ao seu lado.

Em janeiro, chega #CASADOCAIS, a história de cinco amigo peculiares. Ema vem para Lisboa e partilha casa com 4 amigos excêntricos. Estas serão histórias sem tabus sobre o que é ser jovem no novo milénio (o sexo, o álcool, as drogas, as festas, a procura de emprego e o amadurecimento). A youtuber Peperan é uma das autoras desta série de comédia.

Subsolo tem também estreia marcada para janeiro e, segundo Joana Peralta da VideoLotion, "surgiu de uma ideia do coletivo que, depois de apresentada à RTP, passou de uma série de ficção de 10 episódios a uma websérie de 5 episódios". Na história, um grupo de jovens com que raramente nos cruzaríamos contam a sua história de sobrevivência numa cidade de sombras e escuridão.

A última produção a estrear, em fevereiro de 2017, terá uma app móvel própria. Appaixonados segue a vida de Ana Real, de 32 anos, que está solteira há três e decide procurar o amor na internet. Regista-se numa aplicação, onde os utilizadores fazem de casamenteiros e votam no blind date que querem ver na semana seguinte. "O espectador pode escolher quem vão ser os próximos encontros da Ana. A direção da narrativa é escolhida por todos e a equipa de escrita vai ter de adaptar-se de semana a semana", revelou Guilherme Trindade, Ankylosaur.

Foto: Peperan



Sem comentários