Header Ads

Tempo de Leitura | "Justiça Cega", de Hugo Pena




Porque queremos contribuir para o teu prazer pela leitura ou, quem sabe, despertá-lo, o Fantastic apresenta-te, todas as semanas, uma sugestão diferente. 
A sugestão desta semana, vai para o autor português Hugo Pena, com "Justiça Cega".




Justiça Cega.jpg


PORQUE ESCOLHI ESTE LIVRO

A partir do momento em que ouvi falar deste livro, fiquei dividida entre a imensa vontade de o ler, porque é um género que aprecio muito, e o receio de que, ao ler esta obra, como mãe, me pudesse chocar com algumas cenas da história.

Este livro é, de certa forma, um alerta. Um alerta para a sociedade em geral mas, principalmente, para os pais.

Para o facto de que o inimigo pode estar bem próximo de nós, conviver connosco todos os dias, ser uma pessoa respeitada pela sociedade e cumpridora dos seus deveres, sem nunca dar motivos para desconfiar dela.

Para o perigo das rotinas, das redes sociais, da alienação parental ou dos maus exemplos dados pelos pais, que os filhos tendem a imitar.

Justiça Cega é também a prova de que, muitas vezes, os criminosos saem impunes, e continuam a cometer crimes, sem que a justiça lhes consiga deitar a mão ou provar a autoria dos crimes, levando a que muitos tentem fazer, pelas próprias mãos, a justiça que não conseguiram da parte da lei e dos tribunais. 



SINOPSE

"À saída da escola, num final de tarde igual a tantos outros, Joana Gomes, uma menina com apenas treze anos de idade, é raptada por um indivíduo que a transporta numa carrinha para lugar incerto.
O desaparecimento de Joana causa imenso transtorno nos progenitores, na comunidade escolar e nas instâncias policiais, onde uma vez mais, a dupla de agentes da Polícia Judiciária, Martins e Neves, fica incumbida de investigar o caso.
Durante a investigação, dão-se conta que os indícios e provas obtidas carecem de sustentabilidade e para piorar o cenário, alguns cadáveres são encontrados em locais distintos e sem relação criminosa aparente.
Joana sofre o que nenhuma menina ou mulher merece sofrer. E após algum tempo de cativeiro, ganha forças e tenta encetar a sua própria fuga.
Situações como o rapto, prostituição, crimes violentos, utilização descontrolada das redes sociais, vingança a qualquer preço e a justiça ou falta dela, são os ingredientes essenciais para não deixar o leitor indiferente a esta obra, bem como aos perigos escondidos ou não, da nossa sociedade.
Quando os órgãos da justiça não atuam, outros fazem-na pelas próprias mãos, usando todos os meios para atingirem os fins. A justiça tem de ser feita, nem que seja uma Justiça Cega."



DETALHES

Edição ou reimpressão: 12-2014
Editor: Chiado Books
Idioma: Português
Páginas: 352
Classificação Temática: Livros em Português > Literatura > Policial e Thriller



SOBRE O AUTOR

Hugo Pena nasceu no Montijo, mas reside no Algarve há mais de vinte e cinco anos.
Casado, com duas filhas, é Instrutor de Condução desde o ano de 1995.
Participa ativamente em vários projetos ligados à cultura e literatura no Algarve.
Gosta de escrever e ler vários géneros literários, onde se destacam os Ensaios, Poesia, Romance e principalmente o Romance Policial.
É também autor de "Porquê Eu?". 




Sem comentários