Header Ads

"O Cinema, Manoel de Oliveira e Eu" estreia hoje na RTP2


No dia em que Manoel de Oliveira comemoraria 110 anos, a RTP2 estreia o filme O Cinema, Manoel de Oliveira e Eu. A longa-metragem realizada por João Botelho é exibida esta noite, dia 11 de dezembro, às 23h30.

O filme trata-se de uma viagem em tom de homenagem ao cinema do mestre, ao seu método, ao seu modo de filmar e às suas prodigiosas invenções cinematográficas, conduzida por João Botelho

"Uma fotografia velha, de 36 anos. A mão dele no meu ombro. Bênção, dádiva. Depois, uma longa história de mais de quatro décadas de amizade, admiração e aprendizagem. Mais de um século de vida, mais de um século de cinema, todo o cinema. A sorte e o saber dele, a minha sorte. E como, para ele, e agora para mim, documentário e ficção vão de par – de cinema se trata – atrevi-me a filmar uma história magnífica que o Manoel amava, mas que nunca filmou, que deixou para trás, como se a mão dele e os seus olhos lá perto de Deus, ou no meio dos Deuses, me conduzissem e, que ainda hoje, ele possa através de mim continuar a filmar". É assim que João Botelho introduz este filme estreado nos cinemas em 2016.

Manoel de Oliveira é autor de 32 longas-metragens e, apesar de uma periodicidade rarefeita nas primeiras décadas, acabaria por realizar quase sete dezenas de títulos, desde que, em 1931, se iniciou com a curta-metragem Douro, Faina Fluvial.

Misturando documentário e ficção, o realizador João Botelho tenta fazer um filme que serve, nas suas palavras, “como uma introdução à obra de Oliveira, um manifesto contra o esquecimento, a perda da memória.”

Manoel Cândido Pinto de Oliveira nasceu na cidade do Porto a 11 de Dezembro de 1908, no seio de uma família da alta burguesia com origens na pequena fidalguia rural. À data da sua morte, a 2 de Abril de 2015, com 106 anos de idade, era o mais velho realizador do mundo em actividade. O Governo português decretou dois dias de luto nacional e a Câmara do Porto três dias de luto municipal.

Sem comentários