Header Ads

"Pedro e Inês" chega aos cinemas numa versão da história contada em três tempos




O novo filme António Ferreira traz às salas portuguesas uma versão diferente da história de amor intemporal de Pedro e Inês. Inspirado no romance A Trança de Inês, de Rosa Lobato Faria, o filme Pedro e Inês é protagonizado por Diogo Amaral e Joana de Verona.

O filme divide-se entre três tempos - passado, presente e futuro, sendo que os protagonistas da história - o casal Pedro e Inês - vivem diferentes tensões em cada um dos momentos. No filme, tudo começa quando Pedro é internado num hospital psiquiátrico por viajar de carro estrada afora com o cadáver da sua namorada Inês.

O protagonista da história recorda três vidas diferentes, simultaneamente e de forma indistinta. Para além da história original de D. Pedro, rei de Portugal no século XIV, o filme conta ainda a de Pedro Bravo, filho de um importante arquiteto do século XXI e a de Pedro Rey, um jovem filho de um líder de uma comunidade rural, a única categoria de indivíduos que está autorizada a reproduzir-se na sociedade de um futuro distópico imaginário.

Deitado na cama de hospital, ou sentado no banco de jardim onde espera que a dor passe, Pedro recorda a vida com a sua amada Inês que é brutalmente assassinada ao longo dos tempos, apartando-o do seu amor incomensurável, que o deixa à beira da loucura e transforma um homem reservado e pacato, noutro sedento de vingança e justiça.

Para além dos protagonistas, o filme conta ainda com Cristovão Campos, Vera Kolodzig, Miguel Monteiro e João Lagarto, entre outros, no elenco. A estreia nas salas de cinema acontece a 18 de outubro.

 

Sem comentários