Header Ads

Segunda Opinião | "A Praça - 3 anos após o regresso"


O talk-show das manhãs da RTP1 estreou em 1995 com o nome "Praça da Alegria", era apresentado por Manuel Luís Goucha e Ana Mota Ribeiro. Em 2014 fez uma pausa de 1 ano e voltou depois com o nome "A Praça".

Durante este tempo, foram vários os rostos do matutino, mas o formato é sempre associado a Sónia Araújo e Jorge Gabriel, que já foram substituídos por Tânia Ribas de Oliveira e Baião mas acabaram por regressar. A dupla sabe representar o carisma do Porto, acompanhados por Hélder Reis (outra peça importante no programa) e Catarina Camacho. 

Dentro dos apresentadores da RTP, é certo que Jorge e Sónia merecem destaque na programação. É questionável a química que os apresentadores tem, mas podemos pensar que ambos se tratam como colegas de trabalho e não amigos, como é tão habitual vermos em duplas, que se dizem companheiros fora dos estúdios. 

O programa é passado no Porto, contrariamente ao "Agora Nós", que é produzido em Lisboa. O facto da RTP, como serviço público, pensar em descentralizar os seus programas deve ser reconhecido. A estação optou por pegar nas cidades mais conhecidas e com mais população para produzir os seus principais formatos. A verdade é que mais do que o Porto, "A Praça" representa o norte do país e o "Agora Nós" a zona centro/sul. Podemos juntar aqui o "Aqui Portugal" que vai ao encontro de pequenas cidades, vilas e aldeias. 

Apesar das audiências não serem as melhores e de "A Praça" ter descido os números que Tânia Ribas de Oliveira e Zé Pedro faziam nas manhãs com o "Agora Nós", a verdade é que o formato revela a sua importância se pensarmos em serviço público. Além disso, o programa traz temas que não são abordados nas generalistas e nem no "Agora Nós". Por outro lado, em alguns dias o programa fica abaixo dos 10% de share, pondo em causa a sua importância junto dos espectadores. 

Não é novidade na programação da RTP1, mas "As Receitas Lá de Casa" no período das 12h veio tirar uma hora ao talk show das manhãs. Foi uma decisão acertada, pois Malato tem ótimas audiências e a verdade é que na SIC e TVI temos as crónicas criminais a decorrer ao mesmo tempo, era preciso um programa leve para a RTP conseguir ser uma alternativa e "A Praça" não traria novidade naquela faixa. 

Por enquanto, e sem nenhuma alteração próxima em vista, teremos "A Praça" a marcar ponto na RTP1 de segunda a sexta-feira. A sua continuidade em ainda posta em causa gera uma dualidade de opiniões, mais que "Agora Nós", que também perdeu cerca de 30 minutos na RTP e foi 'descolado' para não enfrentar diretamente as privadas.
Segunda Opinião - 121ª Edição

Uma rubrica em parceria com o
http://diario-da-tv.blogspot.pt/

Sem comentários