Header Ads

Fantastic | Os 15 filmes que marcaram 2017


O ano está a chegar ao fim e é a altura de fazer um balanço dos filmes que marcaram 2017. A equipa do Fantastic elegeu quinze filmes nacionais e internacionais que marcaram o ano que agora termina.

Acção, terror, drama, comédia, fantasia, mistério ou suspense, muitos foram os filmes que chegaram às salas de cinema e que fizeram as delícias dos espectadores. As escolhas do Fantastic tiveram em conta a qualidade dos filmes e o impacto dos mesmos junto dos portugueses.

Em Portugal, o filme O Fim da Inocência foi a película nacional mais vista, batendo o recorde em apenas três semanas de exibição. Já A Bela e o Monstro conquistou o terceiro lugar dos mais vistos em Portugal, no top geral, segundo os dados do ICA. 

15. Verão Danado

Verão Danado é a primeira longa-metragem de Pedro Cabeleira. Embora tenha tido uma estreia discreta nas salas de cinema portuguesas, o filme destacou-se no Festival de Cinema de Locarno, onde ganhou uma Menção Honrosa do júri. 

O filme conta a história de Chico (Pedro Marujo), um rapaz que acaba de terminar o curso. Com dificuldade em entrar no mercado de trabalho, ele e alguns amigos próximos passam um Verão em Lisboa, em busca de solução. Um pouco à deriva, Chico acaba por gastar o tempo em festas e noitadas constantes, de que não ficam de fora as drogas, as paixões e algumas desilusões amorosas.

14. Thor: Ragnarok

O filme da Marvel Studios fechou o ano como 17ª película mais visto em Portugal. Bem recebido pela crítica e pelos fãs, Thor: Ragnarok começa quando Thor é preso do outro lado do universo.

Sem o seu martelo poderoso e encontra-se numa corrida contra o tempo para voltar a Asgard e impedir Ragnarok - a destruição do seu mundo e o fim da civilização Asgardiana - que se encontra nas mãos de uma nova e poderosa ameaça, a implacável Hela. Mas, primeiro precisa de sobreviver a uma luta mortal de gladiadores,que o coloca contra um ex-aliado e companheiro Vingador - Hulk.

13. Al Berto

Depois de nos ter dado Florbela, Vicente Alves do Ó trouxe-nos, em 2017, Al Berto, o poeta português que muitos não conheciam, mas que marcou uma geração em Portugal. O filme conta com um elenco jovem, dos quais se destacam os dois protagonistas: Ricardo Teixeira e José Pimentão.


Em Sines, numa época de revolução, Al Berto dá corpo a uma geração em mudança. Al Berto cria um grupo de amigos e juntos transpiram juventude, excentricidade, sonhos de mudança, mas pouco tempo após a revolução, a cidade ainda não está preparada para tanta liberdade - liberdade para amar sem medo.


12. Jacinta

Produzido pela TVI e realizado por Jorge Paixão da Costa, Jacinta surge no ano em que se assinala o centenário das aparições de Fátima. Para isso, chega-nos um filme que mostra o ponto de vista humano de uma criança que afirma ter sido tocada pelo lado mais transcendental e a forma como a sua personalidade se vai modificando e tocando os que estão à sua volta.

O mistério das Aparições de Fátima visto de uma forma inovadora pelo olhar de uma das crianças, Jacinta, a mais carismática delas todas. O fenómeno das Aparições em 1917, não nos é dado por uma visão teológica, nem se reporta à mensagem e profecias de Fátima, mas releva-se pelo impacto que esse mesmo mistério teve nos 3 pastorinhos, e, em particular, em Jacinta.

11. Aquarius

Do Brasil chega-nos um filme marcante e revolucionário. Aquarius esteve no Festival de Cannes e conta com Sónia Braga como protagonista. Um dos melhores filmes brasileiros dos últimos anos e o grande destaque deste ano em terras de Vera Cruz.

Clara, uma viúva de 65 anos, crítica de música reformada, nasceu numa família rica e tradicional no Recife, Brasil. Ela é a última residente do Aquarius, um edifício construído nos anos 40, na zona cara junto ao mar da Avenida Boa Viagem, Recife. Todos os apartamentos vizinhos já foram adquiridos pela empresa que apresentou projectos para construir um novo empreendimento. 

Clara jura que só sairá dali morta e entra numa guerra fria com a empresa, num confronto obscuro, assustador e emocionalmente desgastante. Esta tensão não só perturba Clara como torna as suas rotinas exasperantes, levando-a a reflectir sobre si e aqueles que ama, o seu passado e o seu futuro.

10. Paterson

Paterson poderá ter passado um pouco despercebido junto do público português, mas quem viu o filme poderá confirmar a beleza poética do mesmo. Na história, Paterson é motorista de autocarro na cidade de Paterson, New Jersey - ele e a cidade partilham o mesmo nome. 

Todos os dias Paterson segue a mesma rotina: percorre a rota diária, observando a cidade à medida que a vê passar pelo espelho retrovisor, e ouve fragmentos das conversas em redor. Escreve poemas num caderno, passeia Marvin, um buldogue inglês, e vai para casa ter com a sua mulher, Laura. 

Por outro lado, o mundo de Laura está sempre em mudança, com novos sonhos a cada dia. Paterson ama Laura e ela ama-o também. Ele apoia os projectos de Laura, ela impulsiona o talento de Paterson para a poesia. O filme examina os triunfos e derrotas do quotidiano, juntamente com a poesia que se encontra nos mais pequenos detalhes.

09. O Fim da Inocência

O filme de Joaquim Leitão tornou-se a película nacional mais vista em Portugal no ano de 2017. Com 72.427 espectadores em pouco mais de três semanas, é ainda o 20º filme português mais visto de sempre.

A história segue Inês é uma adolescente com uma vida aparentemente perfeita. Oriunda de uma família abastada, frequenta um dos melhores colégios do país e convive quase exclusivamente com pessoas do seu estrato social.

Porém, depois das aulas, sem que nenhum adulto à sua volta se aperceba, ela e os amigos mais próximos participam em arriscados jogos sexuais, utilizam a internet de forma compulsiva e frequentam a vida nocturna de Lisboa, onde consomem regularmente todo o tipo de drogas. Longe do controlo dos pais, que os julgam em total segurança, dentro e fora de casa, as suas vidas entram numa espiral de total destruição…

08. A Bela e o Monstro

O filme A Bela e o Monstro é uma adaptação em imagem real do clássico de animação. Esta versão modernizou as personagens clássicas para um público contemporâneo, mantendo-se fiel à música original e atualizando a banda sonora com novas canções. Ema Watson mostrou estar à altura do desafio, conseguindo afastar-se do papel de Hermione, de Harry Potter, pelo qual é mais conhecida.

A Bela e o Monstro conta a história de Bela, uma jovem brilhante, bonita e independente, que é aprisionada por um Monstro no seu castelo. Apesar dos seus receios, torna-se amiga dos empregados encantados do castelo e consegue ver para além do terrível exterior do Monstro quando começa a conhecer a alma e o coração do verdadeiro Príncipe que vive no seu interior.

07. Star Wars: Os Últimos de Jedi

A expectativa era grande e Star Wars regressou com tudo neste oitavo filme da saga. Star Wars: Os Últimos Jedi é o segundo filme da trilogia sequela, produzido pela LucasFilm e distribuído pela Walt Disney Studios Motion Picture.

A saga de Skywalker continua, enquanto os heróis de “O Despertar da Força” se juntam às lendas galácticas, para uma aventura épica,que desvenda mistérios antigos da Força e revelações chocantes do passado.

06. Get Out

É o filme que atormentou todo o mundo e que continua a dar que falar. Get Out é um dos favoritos às nomeações dos Óscares e pode marcar o regresso do terror à entrega de prémios. Intenso e desconcertante, o filme de Jordan Peele é um dos mais populares do ano.

Agora que Chris  a sua namorada Rose chegaram ao ponto da relação em que se apresenta a família, ela convida-o a passar o fim de semana em casa dos seus pais, Missy e Dean. À primeira vista, Chris vê o comportamento excessivamente condescendente da família como tentativas nervosas de lidar com o relacionamento inter-racial da filha, mas com o avançar do fim de semana, uma série de descobertas, cada vez mais perturbadoras, levam-no a uma verdade que ele nunca poderia imaginar.

05. Wonder Woman


Os filmes da Marvel sempre dividiram os espectadores: há quem os adore, enquanto outros os odeiam. Mas o balanço que se faz da estreia de Wonder Woman é bastante positivo. Eleito pelo imdb como o segundo filme mais popular do ano, a película fez sucesso um pouco por todo o mundo.

Antes de ser a Wonder Woman, era Diana, a princesa das Amazonas, treinada para ser uma guerreira invencível. Criada numa ilha paradisíaca protegida do mundo exterior, é quando um piloto americano que cai nas suas águas e fala sobre o enorme conflito que acontece no mundo, Diana deixa a sua casa, convencida que pode parar essa ameaça. A combater ao lado de homens numa guerra para acabar todas as guerras, Diana irá descobrir a capacidade máxima dos seus poderes…e o seu verdadeiro destino.

04. Annabelle 2: A Criação do Mal

Num ano em que o terror esteve em grande nos cinemas em Portugal, Anabelle 2: A Criação do Mal foi outros dos destaques de 2017. O filme foi, mais uma vez, um sucesso de bilheteira em Portugal, acabando por conseguir mais de 183 mil espectadores.

Anos após a perda trágica da sua filha, um criador de bonecas e a sua mulher abrem as portas de sua casa a uma freira e várias raparigas de um orfanato encerrado, sem saber que se vão transformar no alvo de uma boneca possuída criada pelo dono da casa, Annabelle.

03. Perdidos

O filme realizado por Sérgio Graciano e escrito por Tiago R. Santos trata-se de uma adaptação e não de um argumento original. Ainda assim, Perdidos mostra que é possível fazer um bom filme de suspense, onde a tensão, a comédia e o drama estão lado-a-lado. 

Um cruzeiro de fim-de-semana, a bordo de um luxuoso veleiro, sofre um terrível revés quando o grupo de amigos decide nadar em alto mar sem baixar as escadas. O barco revela-se impossível de escalar, deixando-os à deriva, a quilómetros da costa. 

Lentamente apercebem-se da dimensão da sua trágica situação e a esperança de escapar com vida começa a desaparecer. A exaustão de se manterem à superfície e a luta para voltar a subir a bordo do barco começam a tomar proporções insuportáveis. O que começou por ser uma alegre reunião torna-se numa verdadeira luta pela sobrevivência.

02. São Jorge

A dupla Marco Martins e Nuno Lopes volta a trabalhar junta para nos trazer São Jorge, um dos grandes filmes portugueses dos últimos anos. Selecionado pela Academia Portuguesa de Cinema como o representado nacional para os Óscares, São Jorge valeu ainda a Nuno Lopes uma série de prémios nacionais e internacionais pela sua interpretação.

Jorge, boxeur, desempregado, corre o risco de perder o seu filho e a sua mulher, quando esta decide regressar ao Brasil. Em desespero, aceita trabalho numa empresa de cobranças difíceis. Ironicamente, Jorge passa a intimidar aqueles que, como ele, se vêem a braços com dívidas que não conseguem pagar. Impele-o a fé numa vida melhor para a sua família, mesmo quando se vê empurrado para um caminho de marginalidade.

01. Dunkirk

Christopher Nolan  regressou às grandes salas com Dunkirk, depois de filmes como Interstellar, A Origem ou a trilogia Batman. O realizado já nos habitou às suas histórias grandiosas e complexas, onde o tempo é sempre o elemento-chave para a compreensão das mesmas.  

Nolan realizou este épico de ação partir do seu próprio argumento, utilizando uma mistura da tecnologia IMAX e 65mm para trazer esta história para o grande ecrã. Dunkirk inicia-se com centenas de milhares de tropas britânicas e aliadas a serem cercadas por tropas inimigas. Encurralados na praia, de costas para o mar, enfrentam uma situação impossível à medida que o inimigo se aproxima.

Os 15 filmes que marcaram 2017 
Por André Pereira, David Magalhães e Tiago Ferreira

Sem comentários