Header Ads

Passatempo | Ganhe convites para a peça "A Tempestade" em Matosinhos


O Fantastic e o Teatro Municipal de Matosinhos - Constantino Nery têm três convites duplos do espetáculo A Tempestade para oferecer. Os convites dizem respeito à sessão do dia 4 de Outubro, às 21h30, em Matosinhos.

PASSATEMPO ENCERRADO

MECÂNICA DO PASSATEMPO:

Para se habilitar a ganhar o prémio, apenas é necessário enviar um e-mail para fantastictv@live.com.pt com o seu nome, e-mail e a resposta à seguinte pergunta: Como se chama o encenador da peça de teatro "A Tempestade"?

Todas as respostas correctas serão validadas. Os vencedores serão escolhidos através de um sorteio e divulgados no dia 3 de outubro no nosso site e no Facebook. Boa sorte.

MAIS INFORMAÇÕES SOBRE O ESPETÁCULO:

“A Tempestade”, de William Shakespeare, chega ao Teatro Municipal de Matosinhos-Constantino Nery com encenação de João Garcia Miguel e a interpretação de António Pedro Lima, David Pereira Bastos, Sara Ribeiro e Vitor Alves Silva

Esta será a primeira peça de um ciclo que a Companhia João Garcia Miguel dedica ao amor.“A Tempestade” teve estreia em Aveiro e passou pela última edição do Festival de Teatro de Almada, partindo do texto original de Shakespeare para uma investigação sobre o que de enigmático e misterioso se preserva num texto clássico, sobrevivendo às tempestades humanas e naturais.

"A Tempestade” de João Garcia Miguel mantém do original o tom conspiratório, a força selvagem dos instintos animais que animam o homem e o poder da ambição, contrapondo-os aos tumultos interiores e exteriores, às borrascas emocionais que permanentemente alteram as disposições humanas.

“Nas forças opostas em confronto, nas zonas de contacto, entre a vida e a morte, na carne que se move por dentro do sonho inconsciente. São essas forças fundidas que emergem do nervo à carne, daí para a pele e que a pouco e pouco se espalham pelo mundo que vamos em busca de interrogar”, lê-se no texto de apresentação do espetáculo, que se propõe ser “uma reinvenção do nosso tempo comum”.

Sem comentários