Header Ads

"A Favorita" regressa a Portugal no canal Globo


A trama protagonizada por Patrícia Pillar e Cláudia Raia está de volta à televisão portuguesa. Assinada por João Emanuel Carneiro, A Favorita pode ser revista na Globo a partir do dia 30 de outubro, às 22h
  
A telenovela que foi originalmente exibida pela SIC, em 2008, acompanha a história de Flora e Donatela, duas amigas que tornaram-se rivais. Uma das duas cometeu um crime e está a mentir. São duas versões a mesma história. Afinal, quem está a dizer a verdade? 

“O bonito da novela é que ela é feita para os outros. É um trabalho muito generoso com o público, porque você está dialogando com milhões de pessoas. Não dá para negar que novela é um jogo, uma brincadeira feita com quem assiste. Jamais será uma obra conceitual, algo precioso, feito para o seu próprio umbigo. A novela pertence ao povo”, destaca João Emanuel Carneiro.

Donatela (Claudia Raia) e Flora (Patrícia Pillar) cresceram juntas. Donatela perdeu os pais num acidente e acabou por ser adotada pela família de Flora, de origens muito humildes. Em crianças, as duas meninas eram melhores amigas, ao ponto de, na juventude, terem formado uma dupla sertaneja denominada “Faísca e Espoleta”. 

A parceria chegou a fazer um razoável sucesso na época, mas a carreira foi interrompida após ambas conhecerem os amigos Marcelo e Dodi (Murilo Benício), de quem tornaram-se noivas. Donatela casou-se com Marcelo, filho do poderoso Gonçalo Fontini (Mauro Mendonça), dono de uma indústria de papel e celulose, enquanto Flora tornou-se esposa de Dodi (Murilo Benício), um homem que veio de baixo e que trabalhava na empresa do pai do amigo.

A felicidade de Donatela e Marcelo, porém, durou pouco. O primeiro filho do casal, Mateus, foi sequestrado com seis meses de idade e nunca mais apareceu. Desde então, os dois passaram a desentender-se com frequência. Flora, por sua vez, separou-se de Dodi e, depois, teve um caso com Marcelo. Engravidou dele e deu à luz uma menina, Lara (Mariana Ximenes), o que abalou ainda mais a relação entre Donatela e Marcelo e, principalmente, entre as duas amigas. 

No auge da crise entre Flora e Donatela, Marcelo é assassinado com três tiros disparados de um revólver que, segundo testemunhas, estava nas mãos de Flora. Apanhada em flagrante, foi presa e separada da sua filha Lara, na altura com três anos. Flora (Patrícia Pillar), então, foi condenada a 18 anos de prisão pelo crime. Donatela, que não perdoa a amiga de infância pela traição e por ter assassinado o amor da sua vida, cria Lara (Mariana Ximenes), fruto desse caso extraconjugal de Marcelo com Flora. 

Dezoito anos depois, ao sair da prisão, Flora vai lutar para provar a sua inocência, acusando a ex-amiga do crime pelo qual ela já pagou. Donatela, por sua vez, temerá que Flora se aproxime de Lara, a quem diz amar como se fosse sua própria filha. Lara mais do que nunca torna-se o alvo de disputa entre as duas mulheres que, um dia, foram amigas. Enquanto a missão de vida de Flora será reaproximar-se da filha, Donatela fará de tudo para impedir que isso aconteça.

Assinada por João Emanuel Carneiro e com com direção de núcleo e geral de Ricardo Waddington, A Favorita é ambientada em São Paulo e conta com um elenco que inclui ainda atores como Glória Menezes, Tarcísio Meira, Carmo Dalla Vecchia e Lilia Cabral, entre outros. 

Sem comentários